"— Você lê muito, não lê?
— Muito…
— Por quê?
— Porque a ficção é sempre mais interessante que a realidade."
- Maria Adelaide Amaral.  (via clarifiquei)

(via timida-e-antisocial)

Ela sonhava em ser psicologa quando crescer. Ela sonhava que podia ajudar todo mundo. E ela realmente podia. Ela dedicava seu dia inteiro tentando ajudar os amigos. Ela as vezes lia, em busca de palavras para dizer. Ela sorria como se não houvesse amanha. E quando você via aquele sorriso dava vontade de abraça-la ou de sorrir junto. A felicidade da menina era contagiante. E é claro, ela era boa na escola. O seu único problema é que quando chegava a noite, ela chorava. Chorava como se houvesse acabado tudo e se culpava por tudo que aconteceu até então de ruim. O choro da menina era tão sentido que quem ouvisse, não importava a distância,choraria junto. A menina estava tão perdida quanto qualquer um que ela ja havia tentado ajudar. O motivo da tristeza da garota ninguém sabe. Nem ela sabia. Ela só sabia que precisava parecer feliz (…)

(Fonte: continue--straight, via timida-e-antisocial)